top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #83 - A escrita da vida

Nos cadernos da vida, as páginas em branco são pautadas para escrevermos o hoje.


O ontem está grafado com tinta que não se apaga. Não existe borracha para o ontem.


O talho da letra que preencherão as linhas do nosso diário, poderão ser no estilo floreado, onde o sentimento predomina, ou nos "garranchos" onde a falta de conhecimento e a pressa nos impõe.


Não somos garatujas, sinalamos nas linhas o que vai dentro de nós.


Em certos momentos, deixamos borrões ou rasuras, na tentativa de mudar o que está registrado, impossível.


Estas são nódoas, que nada, nem ninguém, retira.


A nós, cabe escolher o melhor momento e o tipo de letra que queremos.


Que nossa semana seja escrita, com a grafia do coração.




6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page