top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #64 - Entre erros e acertos

François-Marie Arouet, filósofo francês, deísta e iluminista, viveu no século XVII, sendo mais conhecido pelo pseudônimo Voltaire. Dentre suas inúmeras colocações sobre o ser humano e a vida, uma se direciona aos erros que cometemos durante a nossa existência.


"Os homens erram, os grandes homens confessam que erraram".


Seu conteúdo nos permite refletir sobre o quanto nós escondemos nossas falhas, como se estas fossem alijar-nos do convívio daqueles que vivem no nosso entorno.


Erros e acertos alimentam nossas atitudes futuras.


É muito mais fácil não tropeçarmos mais depois de uma queda, do que não errarmos em determinado ponto onde os acertos estiveram presentes. Os erros nos ensinam a não mais cometê-los, dói no bolso ou na alma.


Os acertos trazem-nos glórias, em sua grande maioria etéreas, esquecemo-nos rapidamente.


Os erros deixam cicatrizes que nos lembram sempre que aquele não é o melhor caminho. Construímos nossa forma de ser na somatória dos erros e acertos.


Falar das vitórias engrandece- nos por fora, mas dialogar sobre os erros fortalece-nos por dentro.





0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page