top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #51 - Os dias

Quando abrimos a janela e contemplamos a manhã que surge aos nossos olhos, estamos começando uma nova caminhada que tem princípio, meio e fim. Dois movimentos se assemelham, mas são antagônicos, o abri-la pela manhã e o fechá-la, à noite.


No "intermezzo", nossas experiências vividas naquele intervalo de tempo. Entre o cerrar os olhos e abri-los, os sonhos do nosso imaginário, o filme que elaboramos enquanto dormimos.


Respostas às questões não resolvidas ou atitudes a tomar podem vir nesta fase onírica, até que o sol nos avisa que é hora de iniciarmos um novo ciclo, com respostas a perguntas do passado recente ou distante e outros questionamentos.


Assim segue a carruagem da vida, desviando de obstáculos aqui, enfrentando outros ali, ultrapassando-os, porque os dias sucedem as noites e estas aos dias. Por mais parecido que seja o hoje, nunca será igual ao ontem.




2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page