top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #47 - Fins e começos

Mais um mês se finda na velocidade da luz. Ainda guardamos o perfume dos ciprestes, os sinos das igrejas o espocar dos fogos do réveillon.


Parece que alguém acelerou o relógio do tempo, ou fomos nós que acumulamos compromissos no nosso dia a dia, que nos levam a pensar que tudo está mais rápido?


Estamos levando nossos compromissos ao limite, unindo um ao outro, sacrificamos nossos momentos pessoais em prol do coletivo, abandonamos nossas necessidades por uma sociedade dita justa e moderna.


Quem comanda o relógio do nosso tempo somos nós mesmos, se estabelecermos prioridades, e entre elas também nosso bem-estar, o relógio do tempo voltará ao seu ritmo.


Lembrem-se: tudo tem seu tempo de maturação, querer fazer tudo só mesmo tempo, e abreviar responsabilidades é se afastar da perfeição, de si mesmo.




1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page