top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #41 - História sobre o tempo

Quando escrevemos a história da vida no papel ou na tela do computador, neles cabem tudo.


Quando a retiramos e trazemos para o palco da vida real é que percebemos que nem tudo que escrevemos. fruto do nosso imaginário, é factível na vida real. Nos nossos delírios podemos tudo, sem nenhum óbice a se opor, porque é nossa criação. Quando dividimos com outra pessoa surge um novo olhar.


Ao difundi-las num grupo diluímos mais ainda, até que sobra o que é possível e realizável.


Na vida, viajamos a cada minuto do imaginário ao real, por vezes nosso egoísmo teima em não nos deixar ver, até que um dia, depois de muitas tentativas, percebemos que se não nos adaptarmos ao tangível, ficaremos isolados, parados, sentados nos ponteiros do relógio do tempo.




2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page