• José Leonídio

Pílulas Literárias #36 - O novo e o nostálgico

Escutei há pouco tempo que ser moderno é "in" e conservar antigos hábitos, "out". Valores adquiridos e testados por várias gerações podem - e devem - ser adequados aos tempos atuais, mas nunca abandonados como se só fizessem parte do passado, uma peça de museu.

É certo que todo jovem, por ser jovem, é um contestador, e todo ancião, por ser ancião, é um conservador, mas a sabedoria dos tempos nos mostra que atualizar o passado com os valores modernos não é se render aos costumes das antigas gerações: é aproveitar experiências vividas, adaptando-as às conquistas atuais, até porque os avanços de hoje serão considerados ultrapassados amanhã.


A humildade de reconhecê-las e adaptá-las ao seu tempo é a grande sabedoria da modernidade na sua essência. O ontem volta hoje com nova roupagem e amanhã, com novas cores.


Abandonar o passado é tentar reinventar a roda.




1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Existe uma diferença entre a gnose (conhecimento, sabedoria) do homo sapiens para as máquinas ditas inteligentes, que nos substituira em todos os nossos atos e obrigações. O conhecimento das ditas má