top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #229 - Escolhas

As escolhas


Cada um de nós tem deus conceitos próprios, do belo e do feio, da doçura e da amargura, da dor.


Reagimos de acordo com o que aprendemos durante a vida. O café adoçado para uns é a forma de quebrar um certo amargor, para outros, ele puro mostra seu verdadeiro sabor.


Ela é tão bonita e ele, meu Deus! Esta é uma crítica que ouvimos de vez em quando, que complementam: se ainda fosse rico...


A escolha aqui não é beleza externa e sim pelos valores internos, estes, sim, duradouros.


Doce, amargo. Branco ou preto; azul ou amarelo; frio ou calor são condições que são colocadas no nosso dia a dia e, por uma questão de vivência, optamos por aquela que mais se adapta ao nosso estilo de vida, ao discernimento dos nossos sentidos.


Construir o ideal é possível, mas na maioria das vezes é etéreo, passageiro.


Quando vamos colocando tijolo sobre tijolo para solidificar o que queremos, nem sempre será o que projetamos, a perfeição, mas é o possível naquele momento e, quando olhamos para trás, aquela opção nos dá muito mais aberturas, permitindo que possamos ir além do que considerávamos ideal.


A arte da vida está em saber usar suas cores, seus pincris, suas telas, que mudarão dia a dia. O cenário somos nós quem construímos de acordo com nossos valores.


Tenham um dia com várias opções de cores e escolha a que mais se adapta a você.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

コメント


bottom of page