top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #220 - Sombras

Sombras são sombras, nada mais do que sombras. Viver nas sombras é tentar se proteger de algo (luz do sol por exemplo) ou fugir da realidade, fazendo delas o seu escudo e porta-voz, escondendo-se atrás daqueles que se expõem aos holofotes da vida. As sombras são mudas, não têm vontade própria, se deslocam de acordo com o que faz o ator principal.


As sombras não têm alma, porque alma se origina da palavra latina “animu”, que quer dizer “o que anima”, “tem movimento”. Elas são estáticas, ficam onde as luzes as colocam; são projeções, nunca o real. Não lhes é permitido nada. Nossas sombras são regidas pelos raios solares. Eles é quem definem de acordo com sua posição onde ficarão: na frente, atrás, dos lados. Porque são somente sombras.

As sombras podem ser amedrontadoras, quando, na penumbra, mas ao menor faixo de luz dissipam-se e, neste momento, conseguimos enxergar a verdadeira face do que se nos apresenta.


Nascemos com corpo e alma, e esta, a alma, seria nossa capacidade de nos movermos em todos os sentidos, e seu controle está dentro de nós. Nossas sombras são somente uma projeção.


Sejamos autênticos, projetemos nossas sombras e não nos acobertemos por trás de sombras alheias. É nossa face verdadeira a A sombra é nada mais do que a sombra.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page