top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #201 - Espinhos

Existe uma diferença entre o que nos mostra superficial e o que é profundo.


Os espinhos das roseiras (acúleos) se originam da casca, do "por fora".


Os das árvores cítricas vêm do tronco, do "por dentro".


Os acúleos arranham e ferem, mas são menos agressivo. Os espinhos, por sua vez, além de ferir deixam cicatrizes.


No nosso dia a dia nos deparamos com as flores, mas também convivemos com seus acúleos e espinhos.


Sentimos seus perfumes, nos encantamos com suas cores e formas, mas, ao colhê-las, podemos nos ferir. Arranhões ou feridas profundas que deixarão cicatrizes, para que nos lembremos que apesar de belas e de aroma enebriante, se não soubermos colhê-las, nos agredirão.


Prefiro as rosas que nos arranham mas não ferem com seu "por fora", os espinhos nunca mais sairão do nosso " por dentro".


Tenham uma semana de boas colheitas, sem os arranhões da vida.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comentários


bottom of page