top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #190 - Fazer

Fazer sem esperar nada em troca. Talvez esta seja a máxima do ser amigo, humano, desprovido da espera do retorno.


Nossas ações quando norteadas pelo querer ou poder ajudar trazem o sabor do dever cumprido. Engrandece quem o faz até anonimamente.


Ao esperarmos a volta, de que sejamos retribuídos pelo que fizemos, não o fizemos espontaneamente, pelo contrário, seria o toma lá da cá. O reconhecimento virá talvez não da mesma forma e intensidade, por vezes nem percebemos, mas cada ato que realizamos tem uma resposta, se do bem , vida lhe presenteará com o bem . O mal retornará na mesma velocidade. O que realizamos naturalmente, sem preço ou cobrança, surgirá na nossa frente da mesma forma, porque energia que não se dissipa volta em algum momento a quem a praticou.


Tenhamos uma semana onde o retorno nos conforte, sem saber o porquê, nem de quem.


O amigo faz, não cobra.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Kommentare


bottom of page