top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #18 - Ritmo

Cada um de nós tem um ritmo próprio, uns mais, outros, menos.


Funcionamos de acordo com o nosso relógio biológico através da energia que nos move no nosso tempo.


Querer que sigamos outro ritmo para nos igualar a outrem é invadir nossa essência. Ao contrário das máquinas que produzem em série, obedecendo a um comando programado, somos independentes: cada um de nós tem suas características e especificidades.


Se gosto de música, outros gostam de flores. Nossa capacidade de escolha vai se desenvolvendo na medida em que evoluímos num universo em que só nós mergulhamos, pois aliamos o ser útil ao prazer.


Talvez este seja o engano de quem trabalha com recursos humanos, achando que somos meras peças de reposição. Podemos exercer a mesma atividade, porém com visões diferentes porque somos únicos.


Quando nos liberamos dentro do nosso tempo e das nossas características, colocando os antolhos do tem que produzir em tanto tempo o planejado, até conseguimos, mas a imperfeição será dominante porque não respeitaram o que verdadeiramente somos.




0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page