top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #173 - Inocência

Como é bom ver o sorriso da inocência. A energia do novo estampada no rosto de uma criança ao se divertir com seu brinquedo.

Ah! Este sorriso me remete ao do recém-nascido no seu sono vazio de imagens.


Seria tão bom que o trouxéssemos para nossa adolescência e a vida adulta, mas as imagens arquivadas, em um programa inacessível do nosso computador individual ( cérebro), ofusca a expressão pura da infância, sem contaminações, seja de que tipo for.


Creio que esta seja a magia do Natal, nos reunirmos junto aos que amamos, os quais nos protegem por toda a vida, ou a quem nos dedicamos desde o nascimento.


Nesse momento percebemos no olhar, no sorriso de todos, a mesma inocência.


Deixamos do lado de fora de nossas casas o ardor que adquirimos com o passar dos anos e neste momento adoçamos com amor a este espírito maior, da pureza e inocência, que tem, na sua representação maior, o mais humilde dos humildes, JESUS CRISTO, na sua pureza ao nascer.


Tenham um sorriso puro e inocente junto a quem os cerca.


Feliz Natal.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page