top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #158 - Amor e razão

Blaise Pascal nascido em Clermont-Ferrand, na França, foi matemático, escritor e filósofo, dentre outras particularidades.


É dele a frase que diz que " O coração tem razões que a própria razão desconhece".


Me atreveria a dizer que "O amor tem razões, que nós próprios desconhecemos.

Por mais racional que sejamos, o pedacinho do nosso cérebro onde o amor reside é imune a razão.


O amor racional não é amor, é um acordo de palavras e ações, onde a adrenalina inexiste ou é quase nenhuma.


No amor verdadeiro, recíproco, mergulhamos num mar de adrenalina que de uma forma inconsciente comandará nossas ações, sem o ranço do arrependimento, porque deriva de uma emoção que não permite controles.


Ou é, ou não é!


Tem um dia de amor pleno.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comentários


bottom of page