top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #145 - Não somos Merlyn

Dentro do nosso imaginário todo início de semana seria uma cópia em miniatura da entrada do Ano Novo. Neste apostamos todas nossas esperanças em que tudo será diferente.


Como se fosse possível colocar dentro de um recipiente inviolável tudo que não queremos para os novos dias e deixarmos no ano que passou.


As segundas-feiras têm a mesma conotação, só que em miniatura: ao invés de 365 dias, são somente sete e vivemos com a esperança da próxima e, assim, sucessivamente. Embarcam na ilusão do bastão mágico que, ao tocar algo, este se transforma.


Ano Novo e semana nova nada mais são do que criações do nosso imaginário para que alcancemos nossos ideais, porém, ao contrário, colheremos o que plantamos no passado, as flores e os frutos da nossa semeadura.


Não existem varinhas mágicas do mago Merlyn, somos os magos que nós mesmos.


Tenham uma bela semana.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page