top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #139 - Ser só

Ser só, estar só. Podemos nos sentir sozinhos quando nosso olhar não consegue enxergar outra coisa que não seja o deserto da solidão.


Será que a solidão é causa ou consequência? Ou será uma mistura das duas?


Quando olhamos uma determinada espécie de planta conseguimos enxergar que folhas, flores e espinhos originam-se de um mesmo lugar e cada qual tem sua função.


A solidão é o espinho da nossa árvore quando não conseguimos dividir com outrem a beleza das flores, nem o oxigênio produzido nas folhas.


Queremos tudo e acabamos num mundo vazio.


Saber interagir, dividir e respeitar é a receita para sermos plural e evitarmos a solidão.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page