top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #138 - Amor e Ódio

Dizem que o antônimo do amor é o ódio.


Que o que os separa é uma cortina invisível fácil de ser transposta, porém com o retorno é mais difícil de ser feito.

Os dois são frutos de emoções. Amar e odiar são transitivos diretos, não exigem uma pré-posição.


Ama-se ou odeia-se, mas são eclodidos por visões que se acumulam e unem.


Desta forma, com racionalidade, conseguimos entender os motivos e voltar à neutralidade, ou seja, a um novo ponto onde possamos enxergar o horizonte sem a entrega do amor cego e o ódio raivoso.


O ontem ao ontem pertence.


Hoje pavimentamos novas estradas da vida, onde o equilíbrio é o mais importante.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page