top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #130 - Assim é a vida

Abraçando o vento, uma expressão que volta e meia ouço, e que traz no seu contexto o nada,o vazio, o que lhe escorre por entre os dedos. Envolver o etéreo é deitar em colchão de brumas.


Nem sempre as palavras têm um sentido concreto, são direcionadas a uma determinada função. As usamos, por vezes, para demonstrar o que não se pode alcançar sem um mínimo de organização e do que é mais importante: o desejo interior de querer fazer.


Só se resolve um problema criando o problema, portanto temos que ter um ponto de partida, e aio desenrolar nosso carretel que nos levará ao que almejamos. Lembrem-se " E não sabendo que era impossível, foi lá e fez".


Assim é a vida.


O que não pode ser realizado por um, para outro é no desatado.


Confie em você, essa é sua maior virtude.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Commentaires


bottom of page