top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #114 - Individualidade


A beleza da vida é sua individualidade. Somos uma linha com nós e embaraços feitos por nós mesmos.


Não somos espelho de ninguém, nem de nossos pais. Somos o que somos. Nem os gêmeos idênticos são iguais a não ser na aparência externa.


Nasceram em horários diferentes, cada qual com sua luz própria e vivem seus momentos individualmente.


Uma videira da cachos iguais mas a sua qualidade dependerá de uma série de variantes para dar o melhor vinho.


Não procuramos alguém em outro alguém, porque somos frutos de uma produção única. Não encontraremos o mesmo amor em outro amor.


Encontraremos o AMOR numa outra vertente. Daquele somente as lembranças.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comments


bottom of page