top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #108 - Beleza

A beleza de uma escultura feita num bloco de gelo é efêmera. Aquela feita no bronze mantém-se eternamente, porque traz na sua origem o calor que fundiu o

cobre e o estanho.


O ser belo é somente uma aparência, impressiona ao contemplá-lo, porém, pode se assemelhar com a escultura feita no gelo, ou seja, sem conteúdo e fria de emoções e sentimentos.


Não precisamos da aparência externa para sermos admirados.


Assim, como nas esculturas de bronze, a energia contida nas nossas ações é que demonstrarão não os encantos visíveis a olho nu e, sim, os que não estão nas vitrines do dia a dia, que não se esculpe, o que é forjado na estrada da vida, na energia dos sentimentos puros.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

Comentários


bottom of page