top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #105 - Pegadas

Pegadas marcam o chão de terra, em direção ao horizonte.


Através dela podemos imaginar as características físicas de quem por ali passou, não passamos desta primeira interpretação. Quando e quem as deixou, guardou consigo o seu momento.


A cada ciclo completo do relógio da vida, deixamos pegadas que não se apagarão dentro de nós.


Diferentemente da impressão digital, da íris, do reconhecimento facial, das senhas da existência, nossas pegadas interiores não são visíveis por qualquer sistema. São nossas, intransponíveis e as guardamos no fundo do nosso cofre.


Podemos, dependendo de quando, como e onde, dividi-las com outrem, mas, na maioria das vezes, ficarão imersas no oceano das nossas lembranças, não disponíveis a divulgação.


São as pegadas que se seguem as nossas sombras.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

コメント


bottom of page