top of page
  • José Leonídio

Pílulas Literárias #03 - Relações atuais

Amar é dar o que não se tem. Para Lacan seria dar o que não temos é abraçar o AQUI e o AGORA, para reconhecer o outro em sua totalidade.


Creio que amar e como se fosse as pequenas pílulas da homeopatia, não se constrói num dia, num minuto, na hora. O amor e prédio que se coloca tijolo a tijolo, até que esteja totalmente acabado.


Amor verdadeiro não se impõe, não e criado em estufas, é semente que germina, cria raízes, cresce, e dos seus ramos saem flores e as vezes, até espinhos, mas fazem parte do seu contexto.


Amor é construção que nunca desaba, o resto é FLERTE, O FICAR dos dias de hoje. Não tem conteúdo, só invólucro.



6 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Pílulas Literárias #246 - Prazer

As palavras vão tomando novos sentidos, com o passar dos anos, dos séculos. Um exemplo é a palavra Prazer, que, na sua origem latina “Placere”, remetia-se a: “aceito”, “querido”, que, por sua vez, es

Pílulas Literárias #245 - Encontro

Existem duas formas distintas e antagônicas no sentido da palavra encontro. Se usamos como direcionamento, a preposição "a", acrescida do artigo "o" , ou seja, "ao encontro", não existem barreiras que

Pílulas Literárias #244 - Conversa

Nada é mais salutar do que uma conversa aberta, em campo neutro. O antigo papa de botequim, sem hora marcada, sem tempo definido, quantas arestas foram quebradas, não pelos valores etílicos e, sim, po

1 hozzászólás


zenaide.cadette
jan. 21.

Conheci o adolescente sobrinho da D. Elvira que a criança que eu era idolatrava, sabia do Professor ginecologista e obstetra respeitadissimo, mas escritor, poeta sambista. Aí foi demais.


Kedvelés
bottom of page